O objetivo é oferecer informação gratuita e de qualidade tanto para pais quanto para os pequenos que sofrem com diabetes tipo 1 – a segunda doença crônica mais prevalente na infância.

O que muda na vida de uma criança com diabetes? Qual a diferença da versão da doença que aparece na infância para aquela que atinge os adultos? Essas e outras perguntas estão respondidas no site Crianças com Diabetes, o primeiro do país com informações e orientações sobre diabetes tipo 1 elaboradas especialmente para aqueles que mais sofrem com o problema – as crianças e os adolescentes.

O projeto foi uma iniciativa da aluna do curso de Nutrição e Metabolismo da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da Universidade de São Paulo Érika Monteiro Silva. A estudante queria fazer, em sua iniciação científica, um trabalho que envolvesse educação e crianças com diabetes. Foi aí que ela procurou o professor Raphael Del Roio Liberatore Junior, do departamento de pediatria da FMRP e que tem como principal linha de pesquisa exatamente o diabetes infanto-juvenil. “Fazia tempo que eu queria montar um site voltado para crianças e adolescentes diabéticos”, conta Liberatore.

Em pouco tempo, alunos de outros cursos – como informática, medicina e enfermagem – também embarcaram nessa ideia. O resultado veio um ano depois, no dia 7 de agosto de 2015, quando o site entrou no ar. “É um serviço da universidade de volta para a população”, afirma o médico. Junto com o lançamento, foi iniciado um concurso para escolher um nome para o mascote do site, um simpático leãozinho. “No dia 10 de setembro vamos divulgar o ganhador e, a partir daí, o site será atualizado com reportagens, matérias científicas, curiosidades…”, diz Raphael Liberatore.

Além do Crianças com Diabetes, o projeto inclui um blog, no qual as pessoas podem se inscrever para esclarecer dúvidas sobre a doença. “Com a minha supervisão, as perguntas serão respondidas semanalmente pelos alunos”, revela o professor da FMRP. A ferramenta também deve começar a funcionar depois do dia 10 de setembro.

O diabetes tipo 1

Quando se trata de doenças crônicas na infância, o diabetes tipo 1 só perde para a asma em termos de prevalência. “A Federação Internacional de Diabetes estima que existam por volta de 1 milhão de crianças diabéticas no Brasil”, informa o docente da USP. Segundo ele, faltam informações a cerca dos sintomas, do diagnóstico e dos cuidados que os pequenos com essa enfermidade precisam tomar. “75% das crianças com menos de 5 anos só descobrem o diabetes quando já estão à beira da morte”, alerta Liberatore.

E tem mais: é cada vez mais comum ver meninos e meninas a partir de 1 ano com a doença. De acordo com Raphael, ainda não se sabe ao certo por que o número de casos nessa faixa etária vem crescendo. Mas entre as ações que ajudam a combater esse cenário são aleitamento materno exclusivo nos primeiros seis meses de vida e assegurar, desde cedo, que os pequenos tenham uma alimentação saudável e equilibrada.

Veja o site: Crianças com Diabetes