Por que tanta tosse?

Por que tanta tosse?

A tosse em crianças pode ter diversas causas, desde um simples resfriado. Mas fique atenta a sinais de algo mais grave.

Meu filho está com tosse. Devo procurar o médico?

Se a tosse do seu filho não melhorar depois de uma semana, procure sim ajuda médica. Veja outros motivos para contatar o pediatra o quanto antes:

  • Se a respiração dele parecer mais rápida do que de costume ou se você tiver a impressão de que ele está com dificuldade para respirar
  • Se seu filho estiver fazendo algum tipo de barulho ou chiado (lembrando um apito) no peito ao respirar
  • Se aparecerem manchinhas de sangue no catarro
  • Se houver febre de 39 graus no caso de bebês maiores que 6 meses
  • Se seu filho for portador de alguma doença crônica, como doença cardíaca ou pulmonar

Posso dar xarope para tosse?

Mesmo que você ache que é só um resfriadinho, pergunte ao médico antes de dar qualquer remédio antigripal, descongestionante, expectorante ou antitosse para o bebê.

O governo brasileiro não recomenda que crianças menores de 2 anos tomem medicamentos contra resfriado, gripe ou tosse sem receita específica. Isso porque hoje em dia muitos dos remédios são considerados ineficazes ou potencialmente perigosos para as crianças.

E se você for mesmo dar alguma medicação, sempre verifique qual é apropriada para a idade do seu filho (nunca dê remédios de adultos para crianças) e se a medida está exatamente como a prescrição (geralmente conforme o peso).

Uma dose maior que a necessária de remédios aparentemente inofensivos como o paracetamol pode até ser fatal.

Por que ele está tossindo tanto?

Há muitos motivos que podem provocar tosse. Veja a seguir as causas mais comuns:

Resfriado

Se a criança tiver um resfriado, ela provavelmente estará com o nariz escorrendo ou entupido, espirros, olhos lacrimejantes, falta de apetite e, às vezes, poderá apresentar uma febre baixa.

Coqueluche

A doença é conhecida pelo barulho típico ou “guincho” que as crianças fazem quando tentam respirar fundo entre os acessos de tosse (os bebês, porém, muitas vezes não têm nem força suficiente para fazer este barulho, e o som da tosse é diferente). A coqueluche é especialmente perigosa em crianças menores que 1 ano.

Alergia, asma e agentes irritantes no ambiente

Uma criança com algum tipo de alergia (como a pelo de gato ou ácaros) pode acabar apresentando sintomas de um resfriado que nunca se cura. Alergias provocam nariz entupido ou escorrendo (líquido transparente) e, em consequência disso, mais tosse.

Crianças com asma tendem a tossir bastante também, especialmente à noite. A tosse geralmente vem acompanhada de congestão no peito, chiado e dificuldade de respirar.

Outra possibilidade para a tosse é que seja provocada por um fator ambiental, como fumaça de cigarro, poluição ou algum agente químico presente no ar emitido por uma fábrica. Neste caso, é preciso identificá-lo e fazer de tudo para eliminá-lo, a fim de resolver o problema.

Em cidades do interior, principalmente em locais próximos a zonas rurais, são comuns as queimadas que causam tosse e até crises asmáticas nas crianças e nos adultos.

Pneumonia

Muitos casos de pneumonia, uma infecção nos pulmões, começam como resfriado. Se seu filho está com um resfriado que só piora, tosse persistente, dificuldade em respirar, febre, dores no corpo e arrepios, procure seu pediatra logo.

Laringite

A tosse é muito característica, e se parece mesmo com o latido de um cachorro, ou às vezes com o som emitido por uma foca. Ela surge na maioria das vezes no meio da noite.

Na maioria dos casos, no entanto, a doença é menos grave do que parece pelo som da tosse. A criança também pode ficar rouca e ter febre baixa.

Objeto inalado ou engolido

Tosse de uma semana ou mais sem qualquer outro sintoma associado (nariz escorrendo, febre, letargia) pode significar que seu filho está com alguma coisa presa na garganta ou nos pulmões. Esse tipo de ocorrência é mais comum entre crianças que já começaram a se movimentar e têm mais acesso a pequenos objetos.

“A criança pode ter inalado ou engolido um pedacinho de comida ou de plástico, que acaba indo parar nos pulmões e provoca uma infecção”, afirma Richard Scarfone, especialista de pronto atendimento.

Se houver suspeita de algum corpo estranho no seu filho, o médico vai pedir uma radiografia do tórax.

Refluxo

Uma tosse persistente, sem outros sintomas de resfriado, pode ser um dos sinais do refluxo, um problema comum em bebês pequenos, que se resolve naturalmente com o desenvolvimento da criança.

A tosse do refluxo é frequente à noite, quando o bebê está deitado e após as mamadas, e é causada pela “volta” do leite até a garganta ou a boca.

O leite que volta para a boca pode acabar sendo aspirado para os pulmões, causando irritação, tosse e até pneumonia.

Sinusite

Se seu filho está tossindo, em especial à noite, com o nariz escorrendo há dez dias (secreção amarela ou esverdeada), e o médico já descartou a possibilidade de pneumonia, é possível que ele desconfie de uma sinusite.

A sinusite é uma infecção bacteriana das cavidades respiratórias no rosto. A tosse acontece porque o catarro fica descendo pelo fundo da garganta. A tosse pode ser tanto produtiva (com catarro) como seca.

É relativamente raro crianças pequenas sofrerem de sinusite. Se a doença for diagnosticada, ela pode ser tratada com antibióticos.

Fonte: BabyCenter Brasil

https://brasil.babycenter.com/a7400044/tosse-em-crian%C3%A7as-1-3-anos

Brincadeiras de Criança “Como é Bom”

Brincadeiras de Criança “Como é Bom”

LIGUE O TELEFONE SEM FIO
Já ouviu a expressão “quem conta um conto aumenta um ponto”? É mais ou menos o espírito do telefone sem fio. O primeiro da fila inventa uma frase e conta para o segundo, que repassa para o terceiro e assim por diante.
A dúvida é se a mensagem chega certinha ao final.

MONTE UM TEATRO EM CASA
Cada um escolhe situações para serem interpretadas e inventa um personagem: príncipe, ladrão, monstro, fantasma… Para que as cenas se tornem mais reais, é só visitar o guarda-roupa dos adultos e criar os figurinos mais malucos que puder.

FAÇA UMA CABANINHA
A brincadeira é fácil de ser organizada. É só colocar duas cadeiras frente a frente e estender um lençol por cima delas. Para decorar, aproveite o Natal e use um pisca-pisca. Depois, é só começar a inventar histórias -as de terror são as mais legais!

QUE TAL PULAR CORDA?
Está sozinho em casa? É possível pular corda. Na reunião com amigos, dá para saltitar também. O jeito mais simples é descobrir quem consegue dar mais saltos. Os mais experientes podem pular duas cordas ao mesmo tempo ou brincar com uma perna só.

HORA DA CIRANDA
Em roda, logo começa a cantoria. Pode ser um simples “Marcha Soldado” ou um “Corre, Cotia”, em que as crianças obedecem o que a letra manda. Geralmente, pais e avós conhecem várias cirandas e podem entrar no círculo e participar da diversão.

RODA, PIÃO
A moda agora é o spinner, que fica girando e girando até cansar. Mas o pião já teve outras formas, como beyblade e o clássico de madeira e ponta de ferro. Também pode ser feito de sementes ou tampa de detergente.
A ideia é sempre girar por mais tempo.

PAR OU ÍMPAR? PAPEL OU TESOURA?
As mãos podem ser o melhor brinquedo. Vários jogos são feitos com elas. Joquempô, par ou ímpar e uni-duni-tê são alguns exemplos. Mas é possível variar. Que tal descobrir como se brinca de adedanha e de “em cima do piano”?

CRIE OS PRÓPRIOS BRINQUEDOS
Ninguém precisa de brinquedos para ter um brinquedo. Com um pouco de imaginação, uma batata pode virar um boneco, uma garrafa PET se transforma em nave espacial e rolos de papel higiênico se tornam binóculos. Aí é só se divertir.

FORÇA NO CABO DE GUERRA
Com duas pessoas já é possível brincar. Cada um fica de um lado, segura uma ponta da corda e começa a puxar. Perde quem deixar o objeto escapar primeiro. Em vez de corda, pode-se improvisar a brincadeira com um lençol enrolado, por exemplo.

BRINQUE DE PEGAR
Divida os participantes entre pegadores e fugitivos. Se quiser, é possível incrementar as regras com um pique (lugar ou posição em que as pessoas ficam salvas). A brincadeira tem vários nomes: pega-pega, pira, trisca, picula, manja…

O Mapa do Brincar reúne 750 brincadeiras: mapadobrincar.folha.com.br

Fonte: Folha de SP.

USP lança primeiro site dedicado a crianças diabéticas

USP lança primeiro site dedicado a crianças diabéticas

O objetivo é oferecer informação gratuita e de qualidade tanto para pais quanto para os pequenos que sofrem com diabetes tipo 1 – a segunda doença crônica mais prevalente na infância.

O que muda na vida de uma criança com diabetes? Qual a diferença da versão da doença que aparece na infância para aquela que atinge os adultos? Essas e outras perguntas estão respondidas no site Crianças com Diabetes, o primeiro do país com informações e orientações sobre diabetes tipo 1 elaboradas especialmente para aqueles que mais sofrem com o problema – as crianças e os adolescentes.

O projeto foi uma iniciativa da aluna do curso de Nutrição e Metabolismo da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da Universidade de São Paulo Érika Monteiro Silva. A estudante queria fazer, em sua iniciação científica, um trabalho que envolvesse educação e crianças com diabetes. Foi aí que ela procurou o professor Raphael Del Roio Liberatore Junior, do departamento de pediatria da FMRP e que tem como principal linha de pesquisa exatamente o diabetes infanto-juvenil. “Fazia tempo que eu queria montar um site voltado para crianças e adolescentes diabéticos”, conta Liberatore.

Em pouco tempo, alunos de outros cursos – como informática, medicina e enfermagem – também embarcaram nessa ideia. O resultado veio um ano depois, no dia 7 de agosto de 2015, quando o site entrou no ar. “É um serviço da universidade de volta para a população”, afirma o médico. Junto com o lançamento, foi iniciado um concurso para escolher um nome para o mascote do site, um simpático leãozinho. “No dia 10 de setembro vamos divulgar o ganhador e, a partir daí, o site será atualizado com reportagens, matérias científicas, curiosidades…”, diz Raphael Liberatore.

Além do Crianças com Diabetes, o projeto inclui um blog, no qual as pessoas podem se inscrever para esclarecer dúvidas sobre a doença. “Com a minha supervisão, as perguntas serão respondidas semanalmente pelos alunos”, revela o professor da FMRP. A ferramenta também deve começar a funcionar depois do dia 10 de setembro.

O diabetes tipo 1

Quando se trata de doenças crônicas na infância, o diabetes tipo 1 só perde para a asma em termos de prevalência. “A Federação Internacional de Diabetes estima que existam por volta de 1 milhão de crianças diabéticas no Brasil”, informa o docente da USP. Segundo ele, faltam informações a cerca dos sintomas, do diagnóstico e dos cuidados que os pequenos com essa enfermidade precisam tomar. “75% das crianças com menos de 5 anos só descobrem o diabetes quando já estão à beira da morte”, alerta Liberatore.

E tem mais: é cada vez mais comum ver meninos e meninas a partir de 1 ano com a doença. De acordo com Raphael, ainda não se sabe ao certo por que o número de casos nessa faixa etária vem crescendo. Mas entre as ações que ajudam a combater esse cenário são aleitamento materno exclusivo nos primeiros seis meses de vida e assegurar, desde cedo, que os pequenos tenham uma alimentação saudável e equilibrada.

Veja o site: Crianças com Diabetes

10 Livros que ensinam as crianças a cuidar do Planeta

10 Livros que ensinam as crianças a cuidar do Planeta

Que tal presentear os pequenos com histórias de respeito e zelo pelo meio ambiente? É uma lição que elas levarão para o resto da vida. Crianças conscientes tornam-se adultos transformadores. Confira algumas sugestões de leitura.

1. O Menino do Dedo Verde

Sinopse: O Menino do Dedo verde conta a história de Tistu, uma criança diferente de todo mundo. Com uma vidinha inteiramente sua, o pequeno de olhos azuis e cabelos loiros, deixava impressões digitais que suscitavam o reverdecimento e a alegria. As proezas de seu dedo verde eram originais e um segredo entre ele e o velho jardineiro, Bigode, para quem seu polegar era invisível e seu talento, oculto, um dom do céu. Até o final surpreendente e singelo. Trata de questões relacionadas com os conceitos de convívio social, ética e cidadania.

Autor: Maurice Druon
Editora: José Olympio

2. Ciclotilde – A História de Nascimento de uma Bicicleta

Sinopse: Este é o primeiro volume das Aventuras de Ciclotilde, uma proposta de educação reflexiva e criativa destinada a crianças de Educação Infantil e primeiros anos do Ensino Fundamental. Viagens e passeios diversos contados em divertidas histórias que estimulam o gosto pela leitura, a curiosidade e o desejo de novas descobertas, levando a criança a se organizar e se posicionar no espaço, a dialogar e descobrir o mundo. Neste primeiro volume vemos nascer uma deliciosa amizade.

Autor: Ana Cristina Mender Perfetti e Rafael Markhez
Editora: Scortecci Editora

3. A Perigosa Vida dos Passarinhos Pequenos

Sinopse: O livro de autoria da jornalista e escritora Miriam Leitão conta a história de uma rebelião iniciada por pássaros pequenos contra a falta de árvores na região em que viviam. Uma fábula ecológica cativante para leitores de todas as idades.

Autor: Miriam Leitão, com ilustração de Rubens Matuck
Editora: Rocco

4. A Árvore Generosa

Sinopse: ‘A árvore generosa’ conta a história do amor entre uma árvore e um menino. A árvore é a amiga amorosa que dá tudo ao menino, suas folhas, seus frutos, sua sombra. O menino também ama a árvore, a grande companheira de todos os dias; sobe em seu tronco, se pendura nos galhos, brinca de esconde-esconde. Até que vai crescendo, se torna adolescente, depois adulto. E, pouco a pouco, deixa a amiga de lado. ‘Estou grande demais para brincar’, diz o menino, que então precisa de dinheiro para comprar ‘muitas coisas’. A árvore fornece suas maçãs, para o jovem vender. Depois seus galhos, para o homem construir sua casa. E a história acompanha o passar do tempo até a velhice do homem – que até o fim, já bem velho e cansado, é chamado de menino pela árvore.

Autor:
Shel Silverstein (com tradução de Fernando Sabino)
Editora: Cosac Naify

5. A Última Gota

Sinopse: Tempos de crise hídrica são opotunidade de mostrar às crianças o valor de se preservar o líquido mais precioso do Planeta. E o livo infantil A Última Gota pode ajudar. Ele conta a história de Kika, que depois de uma aula na escola fica preocupada com a falta d’água no planeta. Mestre Li a aconselhou a ler a história de Chuvisca, a última gota, que fugia dos exércitos clonadores. Em seu caminho, a gotinha se deparava com muitas cenas de escassez e desperdício. Mas nunca perdeu a esperança de encontrar soluções para o problema. E você, está fazendo alguma coisa para que esse precioso líquido nunca falte?

Autor: Diego, J.L.
Editora: Scipione

6. Será que eu compro

Sinopse: Seus filhos costumam pedir para você comprar tudo o que ele vê pela frente? Este livo, da jornalista Rosana Jatobá, pode ajudar a mudar esse jogo. Nele, os protagonistas Lara e Benjamin são apresentados a outras formas de consumo prazeroso, como uma feira de trocas, onde o uso do dinheiro é proibido. Eles aprendem a reutilizar e fazer novos usos de brinquedos, roupas e outros materiais de forma que passam a pensar duas vezes antes de comprar o que quer que seja, influenciando também seus pais. Aprendem a fazer novos amigos e a reutilizar livros em sua escola.

Autor: Rosana Jatobá
Editora: Plano B Editorial

7. Ensinando a criança a amar a natureza

Sinopse: As experiências que nasceram de uma formação no movimento escoteiro deram origem a um método em que o engajamento na preservação do meio ambiente é antes uma experiência de desafio, prazer, alegria e trabalho com o que as crianças gostam de fazer – brincar e usar a fantasia. Este é um livro indicado para pais, professores, educadores de Organizações sociais, chefes escoteiros, líderes religiosos e educadores voluntários.

Autor: Walter Dohme e Vania Dohme
Editora: Vozes

8. Criança da Amazônia

Sinopse: Rodrigo tem pai seringueiro. Tonho mora numa casa que mais parece uma garça com as pernas dentro do rio. Francisco vive em Marajó. Joana é neta de quilombola. Bento adora visitar a tia em Parintins e assistir à Festa do Boi-Bumbá. Kiniriê é indígena. Essas são algumas das crianças da Amazônia. O livro ensina brincadeiras e histórias dessa criançada esperta do Norte do país.

Autor: Mauricio Veneza
Editora: Mundo Mirim

9. Seis razões para diminuir o lixo no mundo

Sinopse: Escrito em linguagem poética extremamente lúdica, o jovem leitor descobre a origem da palavra lixo e seus diferentes tipos – a história do lixo na Pré-História, na Mesopotâmia, na Roma Antiga, na Idade Média – a criação do primeiro depósito de lixo do mundo – os primeiros serviços de coleta – as transformações surgidas com a Revolução Industrial, o surgimento das primeiras incineradoras – os 3Rs – reduzir, reutilizar e reciclar – na prática – a exploração de recursos naturais, o consumo de energia, a poluição do solo, da água e do ar, os aterros sanitários, o desperdício de produtos reutilizáveis e alimentos, os gastos com a limpeza urbana, a geração de emprego e renda pela comercialização dos produtos recicláveis.

Autor: Nilson José Machado e Silmara Rascalha Casadei. Ilustrações de Vera Andrade.
Editora: Escrituras

10. Bichos do Mar

Sinopse: Esta obra convida o leitor para uma aventura – tomar fôlego, mergulhar na imensidão do oceano e se deparar com informações sobre os mais diferentes tipos de animais marinhos – fósseis, peixes, répteis, mamíferos e aves. O livro traz dados como – as orcas são vorazes predadoras que se alimentam de uma infinidade de organismos, como focas, peixes, aves, tartarugas, e até de grandes baleias quando caçam em grupo. Possuem a característica coloração preta e branca e uma proeminente nadadeira dorsal, que nos machos é ainda maior e afiada. Apesar da fama de baleia assassina, não é uma coisa nem outra. Na verdade, as orcas são golfinhos e só atacam para se alimentar. A cada página o leitor poderá encontrar ilustrações.

Autor: Estefane Cardinot Reis e Ilustrações de Mauricio Negro
Editora: Gaia Editora

*Sinopses fornecidas pelas editoras

Texto: Vanessa Barbosa
Foto Antonio Nunes
Site: Exame